Seguidores

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Morre; Não morre; Mata


Morre; Não morre; Mata

Um amor
que morria de medo
da morte do amor
matar.
Descobriu que não morre.
Matou outro amor
de uma morte
não morrida.

5 comentários:

  1. O amor que nunca morre, mas mata outro.... de morte não morrida... Adorei essa loucura poética. Estou por aqui! feliz 2013... sucesso! Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela presença, Nádia! Seja sempre bem-vida!

      Excluir